Alerta da dengue: Epidemia atinge mais da metade das cidades do Paraná


Equipe técnica da 3.ª Regional de Saúde esteve no município para uma oficina de atualização sobre a Dengue

 

O número de casos confirmados de dengue no Paraná chega a 26.672, de acordo com boletim divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (SESA), nesta terça-feira (13). Na comparação com o último boletim, divulgado na semana anterior houve um aumento de 772 diagnósticos.

O período epidemiológico analisado começou em agosto de 2020 e continua até o final de julho de 2021. Na atualização desta terça-feira, não houve registro de novas mortes. Ao todo, são 32 óbitos pela doença no estado. Segundo o relatório, 361 municípios apresentaram notificações da doença e 287 têm casos confirmados, entre estes o município de Piraí do Sul.

Por conta desse cenário epidêmico, a Secretaria Municipal de Saúde numa parceria com a 3.ª Regional de Saúde promoveu nesta terça-feira (13) uma oficina de atualização sobre a temática da dengue.

O Secretário Municipal de Saúde, Julio Sandrini, reforça para a população a necessidade de manter um efetivo combate à dengue, mesmo neste período de enfrentamento da Covid-19.

“Os números do estado e da região são preocupantes e a confirmação de um caso autóctone (que se origina da região onde é encontrado) em Piraí do Sul trouxe um alerta para o Serviço de Vigilância em Saúde, que deve intensificar as ações de combate e controle da dengue em todo o município. Mas para que essas ações sejam efetivas, o apoio da população é vital, não esquecendo dos cuidados necessários, mesmo neste período de enfrentamento do coronavírus”, afirma.

Na oficina de hoje foram trabalhados a padronização da coleta e a leitura microscópica de larvas e pupas do Aedes Aegypti e Aedes Albopictus como tema da principal.

A chefe da Seção de Ações Estratégicas e Redes de Atenção – SCAERA da 3.ª Regional de Saúde, Maria Cristina Stadler, que abriu a reunião destacou a importância desses encontros afirmando que “a equipe técnica da 3.ª Regional de Saúde está preparada para apoiar os municípios no apoio técnico em diversos temas como os abordados hoje no município de Piraí do Sul.”

De acordo com a médica veterinária da Secretaria Municipal de Saúde, Jocimara Tambosi, “esta oficina foi muito importante, porque atualizações sobre temáticas de destaque como as tratadas nessa atividade trazem inúmeros benefícios para a equipe local, além de servir de motivação para o desenvolvimento de um trabalho cada vez mais eficiente.”

Para a enfermeira Carla Iezak, Coordenadora de Atenção Primária, “o treinamento realizado hoje, trouxe numa abordagem teórico/prática na análise e acompanhamento dos principais indicadores de controle da dengue no município, foi muito bom para que nossos técnicos que atuam diretamente no combate e controle da dengue estejam mais preparados para analisar os índices de infestação no município e avaliar mais efetivamente os resultados das ações implementadas.”

Esse treinamento foi realizado na sede administrativa da Secretaria Municipal de Saúde e viabilizado através de uma parceria entre a 3.ª Regional de Saúde e o Município.

O treinamento aconteceu das 9h até as 13h e contou com toda a estrutura e equipamentos de proteção de uso pessoal para garantir a segurança dos participantes, neste período de pandemia.

A oficina de trabalho foi dividida em atividade teórica, com explicações sobre o ciclo de vida do mosquito (ovo, larva e pupa) e aula prática, que abordaram as técnicas para coleta de larvas em tanques, caixas d´água e /ou poças, e a observação desse material com a utilização do microscópio para diferenciação das características morfológicas entre o mosquito da família Aedes.

A retomada presencial das ações de educação em saúde visa prestar orientações para os Agentes de Combate às Endemias e assim, estabelecer critérios uniformes para identificação dos vetores transmissores das arboviroses: dengue, chikungunya e zika vírus.

O Secretário Municipal de Saúde, Julio Sandrini, agradeceu a parceria com a 3.ª Regional de Saúde, se comprometendo com a equipe a promover novos encontros como o de hoje. “O processo de educação continuada em saúde se torna cada vez mais necessário e com isso se consegue garantir a correta coleta e identificação das amostras de larvas feita no campo, atividade que contribui para as ações do Serviço de Vigilância em Saúde.”


Categorias: Saúde,